Buscando a notícia para você desde 2007 - Região dos Lagos - Ano 2017 -

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Alair falou: - Esse picareta, meu antecessor, é o culpado dessa crise financeira do município.


Irritado com as críticas do opositores quanto à tentativa de conseguir empréstimo bancário de R$ 200 milhões como forma de repor as perdas dos royalties, o prefeito Alair Corrêa elevou o tom da resposta, ontem, durante entrevista no programa do comunicador Amaury Valério, na Rádio Ondas. Antes dele, Marcos da Rocha Mendes, falou criticando o atual governo. Sendo assim, tendo como principal alvo seu maior adversário, o deputado federal e pré-candidato a prefeito Marquinho Mendes (PMDB), que tinha acabado de falar no mesmo programa, Alair foi duro e o chamou repetidas vezes de “picareta”. O prefeito culpou ainda o antecessor pela crise financeira do município, segundo ele, por causa da aprovação do Plano de Cargos e Salários, no fim do mandato do segundo mandato de Marquinho, em 2012.

– Pena que esse picareta não voltará a ser prefeito, senão ia provar do veneno que ele preparou pra mim. A folha que ele deixou em dezembro de 2012 foi de R$ 21 milhões e com o PCCR foi para R$ 35 milhões. Foram R$ 576 milhões a mais que eu gastei com a folha e essa arapuca que esse desonesto e irresponsável armou pra mim – disparou o prefeito.

Alair disse ainda que, mesmo que o empréstimo não saia, levará o governo até o final, “aos trancos e barrancos”. Por conta das limitações impostas pela Lei de Responsabilidade Fiscal, que proíbe o uso de recursos de bancos públicos para o pagamento de funcionários, o prefeito admitiu que prefere conseguir o empréstimo de uma instituição privada. Por fim, nova estocada nos adversários.

– Esses picaretas vão descobrir que quem quebrou essa cidade não fui eu, foram eles – concluiu, irritado.