Buscando a notícia para você desde 2007 - Região dos Lagos - Ano 2017 -

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Enel (antiga Ampla) corta energia de nove prefeituras do Estado do Rio por dívidas



A Enel Distribuição Rio (antiga Ampla) informou nesta terça-feira que suspendeu o fornecimento de energia em unidades de nove prefeituras do Estado do Rio, por dívidas. O corte ocorreu nos governos de Maricá, Araruama, Casimiro de Abreu, São Pedro da Aldeia, Iguaba Grande, Paraty, Angra dos Reis, Carmo e Campos dos Goytacazes.

Em nota, a concessionária afirmou que tomou a decisão somente após várias tentativas de negociação. “Vale ressaltar que a distribuidora preservou o fornecimento de energia aos serviços essenciais como iluminação pública, hospitais, escolas e corpo de bombeiros”, conclui a empresa.

A Enel não pôde detalhar o montante dos débitos de cada prefeitura por se tratar de informações confidenciais.

Em nota, a prefeitura de Iguaba Grande informou, nesta quarta-feira, que a situação já foi regularizada junto à Enel.

Já a administração de São Pedro da Aldeia afirmou, também em nota, que se reuniu com os responsáveis pela empresa Enel prontamente após o conhecimento do débito. “A energia foi restabelecida imediatamente após acordo com a empresa, que resultou no parcelamento das dívidas em 10 prestações”, finalizou.

A prefeitura de Casimiro de Abreu, por sua vez, emitiu o seguinte comunicado:

“A Prefeitura de Casimiro de Abreu informa que foi notificada da decisão da empresa. O valor da dívida chega a aproximadamente R$ 641 mil, conforme consta no sistema do município. Entretanto, ressalta que realizou na segunda, dia 28, e terça-feira, dia 29, pagamentos relacionados as contas em atraso e tem renegociado os débitos dependentes.

A sede da Secretaria Municipal de Educação foi o único departamento afetado com o corte do fornecimento de energia, mas a previsão é de que serviço seja restabelecido hoje.

Em tempo, a Prefeitura reafirma que sempre honrou, em dia, com o pagamento das contas, contratos e salários públicos. Entretanto, devido a arrecadação estar muito abaixo da esperada e mesmo com a suspensão de diversos contratos e demissões, tem sido obrigada, a cada recebimento de royalties no fim do mês, a ficar inadimplente com alguns prestadores de serviço e até mesmo com contas básicas como de energia elétrica, água e telefone da Prefeitura”.

A imprensa entrou em contato com todas as prefeituras, por telefone e/ou email, para obter detalhes sobre as dívidas e quais locais das administrações municipais foram afetados, mas ainda não obteve retorno das prefeituras de Maricá, Araruama, Paraty, Angra dos Reis, Carmo e Campos dos Goytacazes.


Fonte : Jornal Extra