Buscando a notícia para você desde 2007 - Região dos Lagos - Ano 2017 -

quinta-feira, 16 de março de 2017

A febre amarela está bem perto - População precisa se vacinar

As secretarias de Saúde de Casimiro de Abreu, na Baixada Litorânea, e de Macaé, no norte fluminense, vão iniciar vacinação de bloqueio contra a febre amarela. O público-alvo é a população que vive na região de serra dos dois municípios, que são limítrofes. A medida foi tomada depois da morte por suspeita de febre amarela de um morador da região rural de Casimiro de Abreu, no sábado, 11. Os exames ainda não foram concluídos. Ao todo, o Estado recebeu notificações de 38 casos suspeitos; dois ainda estão sob investigação.


Só para Casimiro, cidade de 42 mil habitantes, foram enviadas 20 mil doses da vacina nesta terça. Para evitar a corrida aos postos de saúde, o secretário Ibson Júnior informou que vacinará nos primeiros dias crianças e adolescentes com idades entre 9 meses e 15 anos. "Já tivemos a garantia da secretaria de que toda a população será vacinada", afirmou.


Watila Santos, de 38 anos, morava no bairro de Córrego da Luz, próximo a um ponto turístico importante da região, a Cachoeira do Pai João. Ele chegou ao hospital com febre, dores no corpo e dor de cabeça. Logo teve uma parada cardíaca. Foi reanimado e internado. Na madrugada de sábado, 12, teve nova parada cardíaca e morreu.


Moradores de Córrego da Luz relataram terem visto macacos mortos na região. A presença de primatas mortos é um sinal de alerta para a contaminação por febre amarela. A Secretaria de Saúde de Casimiro de Abreu e a Secretaria de Estado de Saúde (SES) enviaram equipes ao local, mas nada foi encontrado.


A SES informou que recebeu 38 casos suspeitos de febre amarela até esta terça; dois ainda estão sob investigação. A secretaria mudou as regras para notificação de casos suspeitos para tornar o sistema de vigilância epidemiológica mais sensível. São considerados suspeitos casos de pessoas com sete dias de febre, acompanhados de dois ou mais sintomas: dor de cabeça, dor no corpo, nas articulações, icterícia e manifestações hemorrágicas, residente ou procedente nos últimos 15 dias de áreas com risco para transmissão de febre amarela.


CABO FRIO


A Secretaria de Saúde de Cabo Frio informa que, de acordo com o novo protocolo firmado pelo Ministério da Saúde, irá disponibilizar, a partir desta sexta-feira (17), a vacinação contra a febre amarela para toda a população que desejar ser imunizada. Uma equipe da Secretaria de Saúde esteve presente na reunião realizada nesta quinta (16) em Casimiro de Abreu e todos os protocolos necessários para a vacinação estão sendo colocados em prática.

Na tarde desta quinta, o secretário de Saúde de Cabo Frio, Roberto Pillar, estará disponível para falar com a imprensa sobre a vacinação contra a febre amarela. A conversa irá ocorrer após uma reunião extraordinária que terá início às 15h na Secretaria de Saúde. A reunião será fechada e o secretário irá prestar os esclarecimentos após o encontro. A conversa irá contar com a presença dos secretários ou coordenadores das seguintes pastas: Agricultura, Educação, Meio Ambiente, Guarda Municipal e Defesa Civil.

Equipes foram buscar as vacinas
Nesta quinta o Ministério da Saúde disponibilizou, a partir das 13h, na Central de Armazenamento, em Niterói, as vacinas contra a febre amarela. Equipes da Prefeitura de Cabo Frio estão indo buscar as vacinas.

Na área urbana, as vacinas serão distribuídas dentro das Unidades de Saúde. Já nas áreas rurais, equipes serão irão fazer buscas em possíveis áreas de risco.

"O risco de uma febre urbana é minimo e por isso é necessário entrarmos nas zonas rurais", disse o secretário de Estado de Saúde, Luiz Antônio Teixeira.

Existe um prazo de 10 dias entre a vacina e a imunização e, por isso, o
secretário de Estado alertou que esse período é de extrema importância evitar caminhadas em trilhas, florestas e idas a cachoeiras.

O superintendente de Vigilância em Saúde do Estado, Alexandre Otavio Chieppe, afirma que todos os casos de febre amarela foram em zonas rurais.

"A vacinação será feita com responsabilidade porque existem contra-indicações, e por isso todo profissional qualificado irá fazer uma avaliação de risco no paciente", afirmou o superintendente.

A vacinação será feita em pessoas entre 9 meses até 60 anos de idade. Para aqueles que tem imunidade baixa é necessário uma atenção maior.

Pessoas restritas à vacina: grávidas e que estao amamentando, pessoas que são portadoras de HIV/AIDS, com câncer, acima de 60 anos, pessoas com alergia a ovo, com doenças do fígado, com hipertensão arterial sem controle adequado e com diabetes descontrolada. Quem faz uso crônico de corticóides só pode ser vacinado com avaliação médica e prescrição médica



Foto - Min. da Saúde